Eu fui pra Espanha!!

Entrevista com Maíra Erlich, estudante de design (UFPE), que fez intercâmbio pra Universidad de Valladolid, na Espanha. Pra quem quiser conhecer um pouco mais a experiência de Maíra, algumas fotos tiradas durante a viagem estão disponíveis em seu Flickr.
1. O que te motivou a fazer um intercâmbio?
Experienciar a universidade em outro ambiente, imersão em outras culturas, viajar bastante, aprender uma nova língua e sair de Recife por um tempo.

2. Como você selecionou o país que gostaria de ir e a universidade que estudaria?
A UFPE disponibiliza em seu site, os links das universidades estrangeiras conveniadas e você tem que procurar quais são as que têm o seu curso.
Decidi ir pra Espanha. Já dominava o inglês, então não vi sentido em ir a Portugal ou Inglaterra. Se é pra ter uma experiência nova, que venha com o domínio de uma nova língua junto :)
No final, não me restaram muitas opções de universidades na Espanha, e Segovia me encantou. Em Segovia fica um dos campus da Universidad de Valladolid.

3. Quais documentos teve que preparar?
Trilhões. Desde histórico escolar até declaração de imposto de renda e extrato de conta corrente dos pais. Nem a UFPE e nem o consulado espanhol informaram nada a respeito do que eu precisaria pra ficar legal no país, e tive que refazer e registrar em cartório documentos e tê-los enviados a mim do Brasil pelo correio. Um estresse só.

4. Como foi o processo de seleção?
Foram escolhidos 6 alunos da UFPE para obter isenção de bolsa na Universidad de Valladolid, os 6 que tinham maior média. Vale salientar que 4 deles eram de Design.

5. A bolsa foi suficiente pra você se sustentar lá? Como se preparou financeiramente?
Não houve bolsa. Eu não pagava mensalidade, mas também era só isso. Meus pais que me mandavam dinheiro. E aí vem a responsabilidade de pagar aluguel, contas, feira, etc.

6. Fala um pouco sobre a universidade que estudou na Espanha.
Achei bem fraca. Principalmente por não ser o campus principal da UVa, Segovia não possui um campus de verdade. Aulas em galerias pichadas ou prédios históricos do outro lado da cidade. Locomoção era um problema. O nível dos alunos deixava bastante a desejar. Por exemplo, alunos de publicidade do último ano criando marca e manual completo de identidade visual, tudo no Word! Uma lástima.

7. Após o término da bolsa, quais foram as suas impressões sobre a importância desse tipo de oportunidade? O que ficou de bom?

Acho importantíssimo pra quem quer abrir a cabeça e conhecer coisas novas, pessoas diferentes. Sair do seu ninho e descobrir que o mundo não é só isso que você conhece.
De bom fica a experiência de vida, as amizades que conservei em vários lugares do mundo, as viagens, a fluência de uma nova língua, e a vontade de conhecer e aprender sempre mais!

8. Alguma recomendação pra quem quer tentar um intercâmbio?
Se você tem essa oportunidade, não deixe passar. Vá conhecer o mundo, descobrir outras formas de ensino em universidades por aí afora, outras formas de vida. E se for a Europa, aproveite as passagens baratas e abra suas asas ;)

1 comments:

Felipe Arruda said...

que belos dentes, voce tem

Post a Comment

Share your opinion!

Archive

Readers

Maintained by

My photo
Recife, PE, Brazil
I don't recognize nationalities or frontiers. My compromise is with life.

Total Pageviews