Eu fui pra Suécia!!


Entrevista com Lorena Kreuger, ex-estudante de design (UDESC), fez intercâmbio pra Universidade de Konstfack, na Suécia. Quem quiser dar uma olhada em algumas imagens da viagem, basta clicar AQUI!

1. O que te motivou a fazer um intercâmbio?
Primeiro a vontade de morar na Suécia novamente, depois a vontade de estudar design lá, que é um pólo muito interessante e tem muita história. Eu tinha muita curiosidade em saber se a forma como se aprende design lá é muito diferente do Brasil, e se toda essa carga histórica do design escandinavo influencia o estudo e a atuação do profissional hoje em dia lá.

2. Como você selecionou o país que gostaria de ir e a universidade que estudaria?
A Suécia foi minha opção por vários motivos: eu já conhecia e gostava, eu já sabia falar a língua, eu teria facilidades, pois tenho cidadania sueca, e tinha muita vontade de passar um tempo morando lá de novo.

A universidade eu não tive muita escolha, pois no momento em que eu escolhi a Suécia, um aluno do design industrial da Universidade de Konstfack mostrou interesse em vir para a minha Universidade (UDESC), (o curiosos é que ele não sabia que eu queria ir, foi uma coisa do além! ) e assim fechamos um acordo “teste” entre as duas escolas, pois não tínhamos acordo oficial.

3. Quais documentos teve que preparar?
Tive que preparar um portfolio pra a escola avaliar, e outros papéis a respeito do intercambio. Mas a cidadania sueca me poupou de alguns trabalhos como visto, autorização pra residência no país, etc..

4. Como foi o processo de seleção?
Como eu estava fazendo um acordo teste entre as duas escolas, e daqui apenas eu mostrei interesse em ir, não houve um processo de seleção, apenas uma avaliação do portifolio por parte da escola sueca.

5. A bolsa foi suficiente pra você se sustentar lá? Como se preparou financeiramente?
Meu intercambio não teve bolsa, mas eu recebi uma bolsa de estudos do governo sueco que é de direito de todo o cidadão de lá. A bolsa foi suficiente para pagar meus gastos de comida, lazer, claro que sempre no limite, e comprando em lugares mais baratos. Com um dinheiro economizado de trabalho do ano antes da viagem, eu paguei parte do meu aluguel, que era mais caro que o normal. O restante foi bancado pela minha família (passagem, restante do aluguel e o cartão de ônibus e metro para o semestre inteiro).

6. Fala um pouco sobre a universidade que estudou na Suécia.
A Universidade é muito bem preparada para receber estudantes de intercambio. Todo semestre recebem cerca de 20, além dos estudantes de mestrado. Tivemos uma recepção, um jantar pago pelo diretório acadêmico, e todos lá se comunicam em inglês. É uma escola muito legal, com uma ótima infra-estrutura, oficinas, espaços para exposições, cozinha pra cada curso, mesas e o um ótimo espaço para trabalhar e desenvolver projetos. Todos são muito individualistas, e cada um tem que se virar, ninguém tem pena de ninguém. Os professores são bem qualificados e, algo bem visível é a preocupação da coordenação quanto ao andamento das aulas, se existe algo a ser melhorado, onde se pode mudar, etc...

7. Após o término da bolsa, quais foram as suas impressões sobre a importância desse tipo de oportunidade? O que ficou de bom?
Eu sempre digo que foi uma das melhores escolhas que eu fiz na universidade. Foi um semestre muito divertido, apesar de algumas dificuldades, fiz amigos (principalmente no local onde morei, uma moradia estudantil ao lado da escola) que estavam sempre se apoiando e buscando se divertir. Quanto ao ensino, deu pra perceber as diferenças entre Brasil e Suécia, e incorporar as maneiras de se pensar design de um local ao outro, como eu esperava que acontecesse. A experiência de morar fora é sempre válida, principalmente quando a escola corresponde às expectativas.

8 Alguma recomendação pra quem quer tentar um intercâmbio?
Buscar morar em moradias estudantis, caso houver. Pois as aulas sempre serão puxadas e serão os momentos de maior dificuldade, por isso morar com outros alunos, em corredores ou repúblicas é interessante, pois afasta a solidão e é onde os melhores momentos acontecem.

0 comments:

Post a Comment

Share your opinion!

Archive

Readers

Maintained by

My photo
Recife, PE, Brazil
I don't recognize nationalities or frontiers. My compromise is with life.

Total Pageviews